quinta-feira, 25 de junho de 2009

Elementos Climáticos




Nessa postagem vamos entender um pouco da formação das paisagens naturais e sua diferenciação, em outras palavras, o porquê de existir tundra numa faixa dos pólos, a floresta temperada nos trópicos e a floresta equatorial na linha do equador.

Imagine que a partir da leitura dessa matéria você vai poder chegar a respostas porque existe a caatinga e a floresta equatorial no Brasil, cactos nos lugares desérticos e as árvores de folhas grandes nos locais úmidos. Indo direto ao ponto, diferenças como essas dependem das condições do clima (temperatura e umidade), relevo (altitude) e solo.

- Clima: radiação solar, umidade, latitude;


- Relevo: altitude;

- Solo.




FIGURA 1


A forma esférica da terra e sua inclinação influenciam na maneira em que os raios solares atingem a superfície terrestre por diferentes ângulos em que os raios incidem no planeta formando as diferentes zonas: polares (Círculo Polar Ártico e Círculo Polar Antártico), as temperadas (temperada Norte e temperada Sul) e a zona intertropical ou tropical.

A zona intertropical é caracterizada pela incidência dos raios aproximadamente em forma perpendicular permitindo uma maior irradiação de calor. É importante levar o ângulo em que a luz chega na terra, pois a forma como a luz atinge o solo que gera determinada quantidade de calor.

As zonas polares, no inverno, parte da região fica desprovida de luz, podendo chegar a um tempo no entorno de 3 meses.

Podemos observar na figura 1 o modo irregular como a radiação solar incide sob a superfície terrestre, os diferentes ângulos em que a luz atinge a superfície terrestre é o fenômeno que dá origem principalmente as diferenciações dos biomas, as zonas climáticas, a formação das diferentes estações e dos círculos polares pela pouca radiação nos pólos.





FIGURA 2
fonte: http://calendario.incubadora.fapesp.br/portal/introducao/imagens/estacoes/view

A Umidade

A condição de umidade é a quantidade de moléculas de água dispersas na atmosfera. A amplitude térmica está intimamente ligada a quantidade de água presente no ar, devido a água ter uma propriedade de regulador térmico (alto calor específico), acarretando em climas mais amenos onde a água se faz mais presente.

A maritimidade - proximidade em relação ao mar - ameniza as tendências da temperatura. Se o ar for quente, sua temperatura ficará mais baixa, e se for frio, a temperatura será mais elevada. Ao contrário da maritimidade, a continentalidade - distância em relação ao mar - acentua o calor e o frio, conforme a condição do ar. Isso ocorre porque a água demora mais para aquecer do que as superfícies continentais. Mas, uma vez aquecida, a água perde calor mais lentamente do que a terra. Esse fator também influi nas amplitudes térmicas de uma região, isto é, nas diferenças entre a maior e a menos temperatura. Nas áreas próximas ao mar, a variação de temperatura é menor do que no interior dos continentes. No nordeste da América do norte, por exemplo, a maritimidade contribui para que o clima temperado existem verões mais brandos e invernos mais curtos que nas planícies centrais. Na região do Paraguai, por sua vez, a continentalidade torna os verões extremamente quentes.


O Relevo ou Altitude

A temperatura diminui em média 1ºC a cada 180 metros de altitude. Isso ocorre porque parte do calor do ar é transmitido pelo solo aquecido pela radiação solar. Do total da radiação que chega à terra, cerca de 34%, são refletidos por elementos presentes na superfície e na atmosfera (partículas de poeiras, por exemplo); Por volta de 19% são retidos pela atmosfera, e a maior parte, cerca de 47%, é absorvida pelas águas e terra da superfície. Daí o calor é transmitido para o ar. Como podemos ver, a superfície terrestre é a principal fonte de calor da atmosfera. Além disso, a pressão atmosférica, a densidade do ar, diminui com a altitude. Tornando-se rarefeito, o ar tem menos massa, o que significa menor capacidade de absorver e conservar o calor.

É também por isso que, nas altas camadas da atmosfera, o ar é extremamente frio. Como as montanhas mais elevadas do continente americano situam-se a oeste, é nessa região que ocorre a maior influência da altitude sobre o clima, e mesmo as montanhas situadas na zona tropical, as temperaturas são baixas, sendo que a altitude anula a influência da latitude. Por isso, em plena zona tropical, encontramos áreas de climas temperado e frio, como os cumes de montanhas dos Andes, que permanecem cobertas de gelo o ano todo. Ex: o planalto boliviano apresenta características próprias dos climas de montanha devido à altitude.

Fontes:

LUCIA MARINA & TERCIO RIGOLIN. Geografia: Volume Único - Editora Ática.

Imagens
fonte: http://calendario.incubadora.fapesp.br/portal/introducao/imagens/estacoes/view

9 comentários:

  1. A realidade de sala de aula e e os avanços da tecnologia diante de um processo contínuo globalizante, requer um profissional da educação, que seja flexível diante dessas mudanças.
    E você Rafael, já mostra muita competência em desenvolver esse blog que dará suporte não apenas a alunos ou professores e sim, a totalidade de todos envolvidos com essa maravilhosa ciência, chamada Geografia.

    ResponderExcluir
  2. Léo, falando desse modo me emociona.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Daienne

    ResponderExcluir
  4. gostei do que eles colocaram aqui

    ResponderExcluir
  5. levei quanto quem da um palpite

    ResponderExcluir
  6. Gostei do artigo,resolvi da uma olhada p/ revisar porque tenho av. de Geografia e ler livro de matérias não é o meu ponto forte.E esse resumo presente neste Blog me ajudou muito.

    ResponderExcluir